Pesquisa Grátis
Esta é a forma mais fácil de encontrar o que você procura neste site.

Atividade Animais Vertebrados e Invertebrados Corte e Colagem

Atividade de ciência, turmas de ensino fundamental; corte e recorte com figuras e classificação de animais vertebrados e invertebrados. 

Atividade Animais Vertebrados e Invertebrados Corte e Colagem
Outras atividades:
LIPITIPI®. Artigo criado por Gi Barbosa em . Atividades pedagógicas para turmas de 1° ao 5° ano Atividades e planos de aula para professores do Fundamental I. Classificação: 5

Quebra-cabeça de textos Alfabetização com material concreto

 Como trabalhar coerência e coesão textual fazendo uso de quebra-cabeças de texto

Atividade muito interessante para trabalhar leitura de textos montando quebra-cabeças.
A criança observará estrutura textual coerência e coesão a fim de montar o quebra-cabeça de textos corretamente.
Como trabalhar coerência e coesão textual fazendo uso de quebra-cabeças de texto

ABAIXO VOCÊS PODEM VER O VÍDEO ENSINANDO COMO UTILIZAR ESTE RECURSO


Veja ainda:

LIPITIPI®. Artigo criado por Gi Barbosa em . Atividades pedagógicas para turmas de 1° ao 5° ano Atividades e planos de aula para professores do Fundamental I. Classificação: 5

Acento Agudo e Circunflexo Atividade Educativa

Acento Agudo e Circunflexo Atividade Educativa
Atividade educativa para trabalhar questões de acentuação com seus alunos do ensino fundamental, em sala de aula.
Com essa atividade você testará o conhecimento dos seus alunos quanto o uso dos acentos agudo e circunflexo, em quais letras usamos, como usamos e que tipo de som cada um indica.
Eles poderão também acentuar algumas palavras e recortar de revistas palavras que possuam os acentos.

Outras atividades:

Como lidar de forma prática com a indisciplina escolar


INDISCIPLINA: Como lidar de forma prática.


Texto Prof Marcos L Souza 
Como lidar de forma prática com a indisciplina escolar

Bem sabemos que a indisciplina dentro da sala de aula por meio dos alunos, é um dos maiores problemas enfrentados pelos professores desde a Educação Infantil até a faculdade. Vários estudos indicam dados alarmantes que tal hábito vem crescendo assustadoramente a cada ano, trazendo consequências horríveis para os profissionais da educação, para a escola, para a sociedade, para a família e para o indivíduo que adota esta prática em sala de aula.

O primeiro a sofrer com a indisciplina é o próprio aluno. O rendimento escolar fica comprometido, na medida em que a sala de aula não é mais um lugar de conhecimento e prazer, baderna e bagunça. As notas automaticamente refletiram o comportamento do mesmo, juntamente com sua moral e conduta que refletiram também seu comportamento. Outra consequência drástica é o comprometimento da aprendizagem do resto da turma. Um aluno indisciplinado geralmente rouba toda a atenção na sala de aula, tirando o foco das outras crianças, além de que muitas delas podem passar a responder também pela indisciplina, já que não conseguem acompanhar a aula.

Quem também sofre com esse tipo de comportamento é o professor, pois a relação com os alunos fica desgastada e, assim, ele encontra cada vez mais dificuldades em exercer seu papel em sala de aula. Isso com certeza se transformará em estresse, desmotivação e até prejudicar seu desempenho.

Quanto a coibir tal comportamento em sala de aula, o professor antes de qualquer coisa deve transmitir autoridade, já que ele é o responsável em pelo ambiente de aprendizado. As propostas de trabalhos e atividades sejam lúdicas ou não, raramente irão surtir o efeito desejado se não houver o comprometimento do aluno em enxergar que ele ali naquele ambiente, não está só e seu comportamento e teimosia em infligir as regras, prejudicará não só ele próprio, mais também todos em sua volta.

O professor não deve tratar todas as ações de maneira uniforme, aqueles que praticaram as mais leves, podem se revoltar e responder pela indisciplina de maneira ainda mais pronunciada.

Na grande maioria dos casos, tais comportamentossão sintomáticos de um desejo por uma experiência escolar mais estimulante. Então devemos observar o princípio mútuo da ajuda. O aluno tem o dever de auxiliar o professor educadamente e não tentar por meio da indisciplina comportamental desestimular o ambiente de aprendizado. Todos devem trabalhar em conjunto para alcançar o bem comum. Acredito que o maior desafio do professor em se tratando de alunos com idade entre (03 a 18 anos), seja ensinar de forma lúdica, atrativa, descontraída, utilizando todos os meios e tecnologias possíveis, artes, mágica, malabarismo, aulas mirabolantes etc, para uma geração que simplesmente não quer se esforçar em aprender, mesmo que o aprendizado seja aplicado de forma saborosa. Que façamos nossa parte como profissionais da educação, sempre torcendo por um futuro melhor, mesmo sabendo que não depende somente de uma classe social para que isso aconteça, mas sim, que possamos sociedade, professores, alunos, escolas, todos trabalharem para um bem comum.

A melhor forma de se tratar a indisciplina escolar é trabalhar em união com todos os envolvidos no processo educacional.


Texto Prof Marcos L Souza 

12.09.2017
  

LIPITIPI®. Artigo criado por Gi Barbosa em . Atividades pedagógicas para turmas de 1° ao 5° ano Atividades e planos de aula para professores do Fundamental I. Classificação: 5

Jogo Pedagógico Matemática Sistema Monetário

Jogo Matemática -Qual é o preço?

Este jogo consiste em que a criança faça a operação de soma ou multiplicação para descobrir qual valor total da compra dos objetos e coloque a etiqueta correspondente.


Jogo Pedagógico Matemática Sistema Monetário
Veja ainda:



LIPITIPI®. Artigo criado por Gi Barbosa em . Atividades pedagógicas para turmas de 1° ao 5° ano Atividades e planos de aula para professores do Fundamental I. Classificação: 5

18 Jogos Pedagógicos com Cartas de Baralho

Projeto Alice no País das Maravilhas - Jogos com Cartas

Olá colega!

Quando realizei o projeto Alice no País das Maravilhas fiz uso de alguns jogos de cartas para trabalhar as operações adição, subtração socialização. etc... Por isso achei interessante compartilhar as ideias com você e procurar algumas outras que possam agregar ao seu fazer pedagógico.

Eu utilizei alguns destes do ARTIGO 14 JOGOS DE BARALHO PARA FAZER COM SEUS FILHOS o qual recomendo. Estão todos com objetivos e ilustrações
18 Jogos Pedagógicos com Cartas de Baralho
IMAGEM DO SITE Lifestyle Howstuffworks
OUTROS JOGOS:

JOGO DO 21:


Participantes:

O 21 pode ser jogado por 03, 04, 05 e até 12 jogadores, sendo 08 o número ideal de participantes.

b) Baralho:

Dependendo do número de jogadores poderão ser utilizados um ou dois baralhos comuns de 52 cartas cada um dos quais eliminam-se os curingas.

c) Valor:

As cartas tem como valores seus números de face, por exemplo: - o 2 vale dois, o 3 vale três, o 4 vale quatro e assim por diante. Rei, Dama e Valete valem dez e o Ás pode valer um ou onze de acordo com o que combinarem previamente os jogadores.

d) Objetivo:

O objetivo básico do jogo é fazer 21 pontos com as cartas que receber ou o maior número de pontos possíveis sem ultrapassar 21 pontos.

Regras: 
 
Um participante embaralha as cartas do baralho e sem proceder nenhum corte distribuirá três cartas de maneira fechada para cada jogador, inclusive para si próprio, a começar pelo primeiro jogador à sua esquerda.
O restante das cartas deverá ficar no centro da mesa.
Os jogadores não poderão mostrar suas cartas para os demais jogadores.
Um participante abre uma carta das que estão no centro da mesa.
Cada um dos jogadores, após olharem suas cartas, verificam se elas e mais a que foi aberta na mesa somam 21 pontos.
Caso isso aconteça, as cartas usadas para fazer os 21 pontos deverão ficar ao lado do jogador.
Outras cartas deverão ser distribuídas aos jogadores e mais uma aberta na mesa.
Todas as vezes que alguém fizer os 21 pontos as cartas usadas devem ficar ao lado do jogador que conseguiu os pontos.
O jogo continuará assim até que todas as cartas do baralho tenham sido distribuídas.
Ganha o jogo que fizer mais vezes os 21 pontos.

Em seguida o professor questiona se as regras estão todas compreendidas e propõe que o grupo jogue o 21.

Após algum tempo, o professor propõe que a turma faça uma análise do jogo e o que puderam aprender com ele. 
Disponível em : Portal do MEC -As quatro operações através de jogos matemáticos- Professora Mirian Chaves Carneiro

JOGO  - COMPARANDO QUANTIDADES

Sugerimos um jogo que possibilite às crianças compararem quantidades existentes em cada numeral. Faça uma roda de conversa inicial, para explicar as regras do jogo. Cada dupla receberá uma quantidade de cartas numeradas de dois a dez, com quatro cartas de cada numeral. Caso utilize o baralho, lembre-se de retirar as cartas com figuras e os curingas. Professor/a sugerimos que escolha uma dupla para demonstrar à turma como jogar. Veja as regras abaixo:
1- Os/As jogadores/as decidem através do par ou ímpar quem inicia o jogo;
2- Todas as cartas devem ser distribuídas em igual quantidade para cada jogador/a;
3- Sem olhar suas cartas, cada jogador/a forma um monte na sua frente com as suas cartas viradas para baixo;
4- Os/As jogadores/as combinam um sinal, e os dois jogadores imediatamente viram as primeiras cartas de seus respectivos montes. O/A jogador/a que virar a carta maior leva as duas.
5- O jogo termina quando as cartas acabarem.
6- Vence o jogo aquele/a que, ao final do jogo, tiver o maior número de cartas.

JOGO - TAPÃO

Material: cartas de baralho

Local: sala de aula, pátio ou quadra

Na seqüência das atividades o(a) professor(a) poderá ensinar o jogo do “tapão”. Esse jogo tem como característica marcante a dinamicidade e costuma causar grande euforia nas crianças.

Depois de embaralhadas e distribuídas todas as cartas, cada criança faz um monte com suas cartas, com as faces voltadas para baixo. A criança que começar a jogar deverá puxar a carta do topo de seu monte, colocar no centro da mesa e falar claramente “Ás”. A criança seguinte faz o mesmo, porém dizendo “Dois” e assim por diante até chegar ao “Rei”. Nesse momento recomeça-se a contagem do “Ás” novamente. Quando, por coincidência, a carta jogada coincidir com a carta falada, as crianças devem colocar rapidamente as mãos sobre o monte de cartas no centro da mesa. A última criança a colocar a mão pega todas as cartas da mesa e as coloca junto de seu monte, na parte inferior. Em seguida, esta mesma criança recomeça a contagem. O jogo prossegue até que um jogador consiga terminar todas as cartas do seu monte e conseqüentemente vencer o jogo.    Disponível em : Portal do MEC - Jogando Cartas - Professor Luciano Silveira Coelho

JOGO - BARALHO INTELIGENTE

MATERIAL:

288 cartas de 4cm x 7 cm , contendo 144 com operações desejadas e 144 com os resultados.
48 cartas para cada grupo de 4 alunos.

Em cartolina recortam-se 48 cartas para cada grupo de três ou quatro jogadores: 24 com as operações desejadas e 24 com os resultados. Para as séries iniciais, as operações serão de adição e de subtração, dependendo do conteúdo ou do nível dos alunos, as cartas poderão conter operações de multiplicação e divisão, mais simples ou mais complexas, bem como outros conceitos matemáticos, dependendo do nível da turma.

PROCEDIMENTOS:

No centro da mesa, colocam-se as 24 cartas, viradas para baixo, formando montinhos contendo os resultados.
As outras 24 cartas contendo as operações serão divididas entre os participantes .
Cada aluno desvira uma carta da mesa. Encontrando a resposta certa para uma das cartas que tem na mão, forma com ela um par e ganha um ponto, se a resposta não corresponder a nenhuma das operações contidas em suas cartas, recoloca a carta no centro da mesa, com o resultado para baixo, reiniciando, desse modo, um segundo monte, e passa a vez para o companheiro.
Se o aluno comprar a carta com o resultado 8, por exemplo, e formar um conjunto com a carta 11 – 4, o resultado estará errado e ele perderá um ponto.
A conferência dos resultados e a marcação dos pontos será feita numa ficha, pelos próprios alunos.

LIPITIPI®. Artigo criado por Gi Barbosa em . Atividades pedagógicas para turmas de 1° ao 5° ano Atividades e planos de aula para professores do Fundamental I. Classificação: 5

Atividade Valor Posicional Relativo e Absoluto

Atividade Valor relativo e valor absoluto para baixar grátis

Atividade simples e básica para primeiro ciclo do Fundamental I.
Atividade Valor Posicional Relativo e Absoluto


Veja ainda:


LIPITIPI®. Artigo criado por Gi Barbosa em . Atividades pedagógicas para turmas de 1° ao 5° ano Atividades e planos de aula para professores do Fundamental I. Classificação: 5

PROJETOS PEDAGÓGICOS, COMO EXECUTÁ-LOS DE MANEIRA CORRETA?

Artigo do professor Marcos L Sousa sobre Projetos Pedagógicos

PROJETOS PEDAGÓGICOS, COMO EXECUTÁ-LOS DE MANEIRA CORRETA?

Neste artigo gostaria de destacar a importância de se planejar bem um projeto pedagógico, para que o mesmo tenha eficiência e consiga atingir o objetivo específico e desejado.
Primeiramente em se tratando da Educação Infantil, deve-se ter em mente que , cada proposta a ser executada, deve-se analisar em sobre que aspectos o projeto será encaixado e qual sua finalidade. Devemos observar dois alicerces que como o próprio nome diz, serão à base de seu objetivo; Planejamento e execução.
Segundo Kramer (2006), sabemos que o objetivo da educação infantil, conforme os direitos das crianças é o de desenvolvê-las integralmente, no sentido de integrar os cuidados básicos que se exige nesta fase da vida à educação não letrada. Isso indica que, além dos cuidados, o professor precisa estimular fisicamente, psicologicamente e cognitivamente a criança com experiências lúdicas e diversificadas a fim de, apresentá-las as várias formas de pensar e agir sobre situações diferentes.
Para isso é essencial que o professor, bem como todos os profissionais envolvidos nesse trabalho, tenha suas práticas fundamentadas em concepções que contribuam para o desenvolvimento integral da criança na educação infantil, de modo que a organização da rotina possua objetivos e o professor projete ações em que se proporcionem a criança novas e ricas experiências para conhecer, explorar, imitar e, portanto, se desenvolver.
O planejamento na Educação Infantil é um momento que possibilita o professor encontrar soluções para obter avanços no desenvolvimento cognitivo, afetivo e social da criança, por isso deve ser uma atividade contínua, onde o professor não somente escolhe os conteúdos a serem passados, mas faz todo um processo de acompanhamento onde diagnostica os avanços e dificuldades de toda a turma e também de forma individual, já que é fundamental o professore levar em consideração as peculiaridades e as especificidades de cada criança, já que cada uma tem seu modo de agir, pensar e sentir. Segundo Hoffmann (2001) a organização e planejamento das atividades diárias proporcionam ao professor a reflexão de suas ações e metodologias, analisando os resultados de seu projeto. De acordo com Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (1998) p. 196 cabe: “[...] ao professor planejar uma sequência de atividades que possibilite uma aprendizagem significativa para as crianças, nas quais elas possam reconhecer os limites de seus conhecimentos, ampliá-los e/ou reformulá-los;”

Nesse sentido, aprofundar-se no estudo de teorias e concepções que abordem de maneira diferente o processo de ensino condiciona liberdade na prática diária deste profissional que atuará com intencionalidade e compreensão de suas ações, planejando uma rotina flexível, que considera as necessidades de surjam, mas que esteja norteada numa concepção de educação e infância que criem condições de desenvolvimento para a criança baseadas no desafio de promover e possibilitar as máximas qualidades humanas no sujeito.
Assim, a educação infantil tem papel de oferecer um espaço em que haja tanto a educação quanto o cuidado, onde as crianças obtenham aprendizagem adequada, em que saibam se relacionar com o outro, já ela têm a necessidade de aprender e de se relacionar com outras pessoas, a fim de se desenvolver integralmente. Dessa forma, no que se refere à participação de um adulto neste processo, que no caso da educação infantil é o professor, o mesmo deve estar consciente de sua atuação e importância na vida da criança, já que o mesmo interfere diretamente no processo de aprendizagem da criança. Por isso, o docente deve ter uma formação qualificada, deve ter intencionalidade em suas ações, saber planejar, ter uma organização temporal e espacial, além da rotina em sua sala de aula, a fim de que suas aulas tenham resultados positivos, que os alunos possam aprender e interagir, a fim de ir aprimorando seu desenvolvimento.

Texto >Prof Marcos L Souza

31.09.2017


LIPITIPI®. Artigo criado por Gi Barbosa em . Atividades pedagógicas para turmas de 1° ao 5° ano Atividades e planos de aula para professores do Fundamental I. Classificação: 5

Atividade Adição Material Concreto

Flash Cards para trabalhar adição com material concreto

Esta é uma atividade simples para trabalhar soma em turmas de Alfabetização.
Atividade Adição Material Concreto

Veja vídeo explicativo.



Abaixo deixamos os flash cards para download.
Atividade Adição Material Concreto

Atividade Adição Material Concreto

Atividade Adição Material Concreto


Veja ainda:


LIPITIPI®. Artigo criado por Gi Barbosa em . Atividades pedagógicas para turmas de 1° ao 5° ano Atividades e planos de aula para professores do Fundamental I. Classificação: 5

10 Planos de Aula e Atividades Música na Escola Por Marcos L Souza

10 atividades para o trabalho com Música na Escola Professor Marcos L Souza

10 Planos de Aula e Atividades Música na Escola Por Marcos L Souza

AULA 1: Barulhinho do “TUM TUM” Adptação da música do professor “ Marcelo Serralva”


O brincar:

1. As crianças em pé, formam um círculo;
2. Cantam e dançam conforme sugere a letra da música;
3. Quando cantarem “TUM TUM” todos devem batem palmas. Quando cantarem “TAM TAM” todos devem bater as mãos nos joelhos.
4. Na segunda vez canta-se a música com a pulsação ritmica cada vez mais acelerada e em vez de “TUM TUM” (mãos) começa-se com “TAM TAM”(Joelhos)

Objetivos:

- Ter momentos agradáveis no período de início da aula;
- Vivenciar um clima de amizade e companheirismo por meio de brincadeiras;
- Desenvolver a atenção e concentração;
- Desenvolver a percepção rítmica.

AULA 2: “Ordem e comando”


Material: 1 instrumento que produza som grave (ex. tambor) e 1 instrumento que produza som agudo (ex. guizo).

O brincar:

1. As crianças ficam em pé
2. Ao som grave: abaixam
3. Ao som agudo: ficam em pé

O professor comanda a brincadeira e depois pode passar para outro aluno fazer os sons.

Objetivos:

- desenvolver a atenção;
- diferenciar timbres;
-Identificar sons

AULA 3: “Passa- passa” – Música- Engatinhando- Palavra Cantada


Material: Grupo de amigos e um objeto, de preferência uma bola.

O brincar: Um mestre vai inventando maneiras de passar a bola, e assim todos vão repetindo.

Objetivos:

- estimular a atenção
- trabalhar a pulsação da música
- interação

AULA 4: “ Adivinhe o instrumento”


Material:

-Vários instrumentos sonoros com diferentes timbres
- Uma caixa de papelão grande para se esconder os instrumentos.
- Um pedaço de pano que tampe os olhos dificultando a visão do aluno.

O brincar:

O professor escolherá um aluno para ir à frente e sem que ele veja os instrumentos, tentará advinhar o nome de cada um quando o professor tocar. Obs (O aluno deve ficar de costas para os instrumentos e para o professor com os olhos vendados)

Objetivos:


- Trabalhar os timbres de cada instrumento;
- Trabalhar a audição.
- estimular a concentração;
- atenção;
- Conhecer os instrumentos;

AULA 5: “Se vc está contente”


https://www.youtube.com/watch?v=Pabt0QBlXaM

O brincar:

1. Contar a melodia gesticulando conforme sugere a letra.
2. Demonstrar quais os sons que podemos fazer com as mãos e os pés.

Objetivos:

Levar a criança a:

- resgatar a música folclórica;
- utilizar a música como recurso para o desenvolvimento da coordenação fina;
- interpretar melodias;
- estimular a memória musical;

Relaxamento para finalizar a aula: Imitar o nascimento de uma plantinha a partir da semente, assim, alongar todas as partes do corpo.

AULA 6: Música “Cabeça, ombro, joelho e pé”

O brincar:

1. As crianças em pé, formam um círculo;
2. Cantam e dançam conforme sugere a letra da música;
3. Para marcar o tempo forte podem-se utilizar instrumentos de percussão.

Objetivos: Levar a criança a:


· Ter momentos agradáveis no período de início da aula;
· Vivenciar um clima de amizade e companheirismo por meio de brincadeiras;
· Desenvolver a atenção e concentração;
· Interagir e socializar-se.

AULA 7 : “Telefone sem fio sonoro”

Material: 1 instrumento de percussão.

O brincar:

1. As crianças sentadas formam um círculo;
2. O professor pode começar para que aprendam a brincadeira, tocando uma célula rítmica com o instrumento.
3. Depois de tocar, ele entrega o instrumento ao aluno ao lado, que precisa tocar o mesmo ritmo.
4. Todos da roda precisam fazer a célula rítmica.
5. Após todos terem tocado, o aluno que está ao lado do professor inventa outro ritmo, e assim sucessivamente, até que todos toquem e inventem seus ritmos.

Objetivos:

· Desenvolver a atenção e a destreza de raciocínio;
· Estimular a criatividade e a coordenação motora;
· Desenvolver a concentração.

AULA 8: “Que som é este?”

Material:

- 3 ou mais objetos que façam barulho, como: sino, buzina de bicicleta, boneco de borracha, ou instrumentos de percussão como ganzá, pandeiro, chocalho etc
· um cobertor ou um tecido de TNT grande e preto.

O brincar:

1. Coloque no chão, de 3 a 5 objetos sonoros em fila;
2. Esconda os objetos atrás do cobertor ou do tecido para que as crianças não os vejam;
3. As crianças devem se sentar no chão e em frente ao cobertor;

1. Retire o cobertor e faça um som usando cada um dos objetos, para que se familiarizem com os sons.
2. Cubra-os novamente, e faça um som com apenas um dos objetos, pedindo para que as crianças descubram qual é o objeto que produz aquele som;
3. Felicite-as sempre que conseguirem descobrir.

Objetivos:

- estimular e enriquecer a capacidade auditiva da criança;
- desenvolver a concentração.

AULA 9: Percepção auditiva(sons/ruídos).


Escurecer a sala apagar as luzes e fechar as cortinas.
Deitar no chão(utilizando colchonetes ou tapete) e ouvir diferentes sons/ruídos(Cd para relaxamento).
  •  Barulho de água/cachoeira
  • Canto dos pássaro
  • Assovios....
Após essa atividade, conversar na rodinha a sobre os diversos sons que podemos ouvir no ambiente.

  •  Pessoas conversando
  • Barulhinhos de vasilhas na cozinha
  • Galo cantando no quintal do vizinho
  • Cachorro latindo
  • Telefone tocando.
  •  Criança gritando....
O ambiente possui vários tipos de ruídos, alguns são agradáveis e outros desagradáveis ao nosso ouvido.

Brincadeiras de roda. Brincar de corre cutia.


AULA10: História cantada.

DICA: Materiais das professoras ( Elvira Drummond e Débora Bardoni)


Material:

- Livros e instrumentos sonoros.
- fantoches

O brincar:

1 Separe alguns alunos para fazerem parte da orquestra sonora;
2 Escolha uma história bem legal e divertida.
3 As crianças devem se sentar no chão e formarem uma roda.
4. A medida que a história for se desenrolando utilize a orquestra sonora para os efeitos da história.

Objetivos:

- estimular e enriquecer a capacidade auditiva da criança;
- desenvolver a concentração.
- Desenvolver a criatividade.


Fãs Ideia Criativa

Seguidores do Ensino Fundamental

Google+ Badge

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...